Coronavírus (COVID-19) na odontologia, como se proteger e como o mercado deve se recuperar

Mulher sorrindo
5 minutos para ler

Apesar da pandemia estar se estabilizando em países como China e Coréia do Sul, ela pode estar apenas começando a tomar forma no Brasil. Por esse motivo, nosso setor precisa estar atento as principais informações científicas e instruções de fontes seguras para não ser afetado drasticamente.

Em relação as instruções fora do ambiente de trabalho, basta seguir as fartas recomendações já divulgadas nos diversos meio de comunicação, como:

  • Evitar tocar partes do rosto;
  • Lavar as mãos constantemente;
  • Evitar proximidade com pessoas e aglomerações;
  • Ao tossir ou espirrar, cobrir a boca;
  • Em caso de sintomas (tosse, febre, dificuldade de respirar) procurar uma unidade de saúde e utilizar máscaras;
  • entre outros.

Na clínica odontológica algumas recomendações de prevenção são mais específicas, entre elas temos:

  • A primeira medida de prevenção é realizar um questionário com o paciente, incluindo perguntas sobre estado de saúde, viagens recentes, problemas respiratórios, contato com pessoas doentes.
  • Caso o paciente tenha alguma resposta que levante suspeita, ideal é medir a temperatura do paciente e caso esteja febril, reagendar a consulta para depois de 14 dias.
  • Utilizar equipamentos de proteção como luvas, gorros, máscaras e jalecos descartáveis.
  • Limpar e desinfetar todas as superfícies antes e após atendimentos.
  • Entre outras medidas.

Como o mercado está em outros países e como deve ser a recuperação

Nós da Odontomega temos fornecedores em todo o mundo, países que estão já se recuperando da epidemia de coronavírus, outros que estão provavelmente no meio da curva e alguns ainda com a curva em ascensão. Utilizamos esses contatos para fazer uma pesquisa qualitativa, com as opiniões de cada fornecedor sobre como o mercado odontológico deva se comportar após a estabilização dos casos e recuperação da economia.

Pergunta: O seu país realizou o “lockdown” para as clínicas odontológicas?

Para abrir o questionamento, fizemos uma pergunta básica para nosso mercado. Se o governo do país do fornecedor exigiu um lockdown de clínicas, com certeza todo o mercado parou. Como observamos nas respostas (fornecedores de Alemanha, Estados Unidos, Coréia do Sul, Israel, China e Japão) a maioria dos países fechou totalmente ou parcialmente as clínicas.

Independente do país pesquisado ter fechado ou não as clínicas de maneira obrigatória, o que aconteceu nos mercados, segundo as respostas, foi similar. Pacientes de maneira geral cancelaram consultas e procedimentos, e além dos cancelamentos não houve novos agendamentos, assim apenas serviços de emergência foram realizados, causando uma queda considerável de demanda pela maioria dos serviços realizados nas clínicas e pelos produtos que são utilizados.

Ainda não temos dados nem pesquisas para comprovar os motivos dos pacientes cancelarem procedimentos, porém podemos ter uma ideia geral: medo de contaminação, incertezas sobre o futuro, pausa geral em gastos, entre outros.

A partir dessa constatação, podemos entender o principal problema que deverá ser enfrentado pelo mercado odontológico (e outros mercados) após a COVID-19: Demanda.

Perspectivas de futuro

A curva de contaminação da pandemia é diferente entre os países dos entrevistados, o que nos permite uma visão de “futuro” do que acontece após o surto melhorar. Alguns dos entrevistados de países que já conseguiram melhorar o contágio acreditam que em Abril o mercado já começará a se recuperar. Portanto podemos entender que é necessário um mês após as infecções caírem para a retomada da demanda, ainda que lenta.

A opinião geral é de que a contaminação e contágio precisam ser reduzidas rapidamente para que novamente os pacientes possam ter segurança para voltar as clínicas, o que acontecerá gradualmente ao longo do tempo.

A saúde bucal e o nosso mercado odontológico já passou por diversas crises, se mantendo uma necessidade constante da população. Portanto precisamos nos manter confiantes e garantir a retomada do mercado com ideias inovadoras, marketing direcionado e relembrando a população de quão importante um tratamento ou procedimento pode ser para a saúde dental e mental de cada um, de como a estética influencia diversos fatores de nossas vidas e demais benefícios dos tratamentos oferecidos por um consultório odontológico.

Sugestões para a retomada

O setor odontológico deverá se esforçar para garantir a retomada dos serviços. Mesmo após o fim ou estabilidade do surto, os pacientes poderão estar receosos pela retomada de procedimentos por medo de contaminação ou por dúvidas gerais sobre gastos.

Nós da Odontomega pretendemos criar campanhas para auxiliar o paciente a encontrar o melhor tratamento e a procurar seu dentista mais rapidamente quando a epidemia passar, gerando assim demanda para as clínicas e naturalmente para os laboratórios de prótese. Como sugestões para os dentistas e demais empresas do setor, podemos elencar:

  • Divulgação das medidas de proteção utilizadas na clínica. O paciente deve se sentir seguro para realizar qualquer tipo de procedimento.
  • Utilizar as redes sociais como maneira de mostrar todos os benefícios dos tratamentos oferecidos.
  • Ressaltar a importância da saúde bucal para a sociedade em geral.
  • Outras formas de divulgação adequadas para o perfil de cada um.

De maneira geral, todos os mercados serão afetados, porém temos que seguir preparando as medidas que podemos tomar para facilitar e acelerar a recuperação. Podemos sim sair dessa mais fortes, nessa hora precisamos de solidariedade e companheirismo. Com inovação e novas soluções, nosso mercado poderá sim se recuperar rapidamente.

Photo by Lesly Juarez on Unsplash

Você também pode gostar

Deixe um comentário